Geração Y: o que querem e como lidar com este tipo de profissional

Geração Y: o que querem e como lidar com este tipo de profissional

Geração Y: o que querem e como lidar com este tipo de profissional
fonte: Relatorio RH
Conteúdo publicado em: 14/1/2013
Geração conectada ao mundo virtual e às tendências tecnológicas, eles são o grande desafio das empresas e dos negócios do futuro.
Esses jovens são conhecidos como Millennials ou Geração Y e nasceram entre os anos 80 e 2000. São filhos da revolução feminista e da revolução sexual, cresceram numa época de liberdade e de muita informação.
A era da informação e da tecnologia transformou o mundo, as pessoas e as relações. No mercado de trabalho igualmente. As empresas começaram a receber um contingente de colaboradores que cresceram guiados pelo mundo digital e impulsionados por velocidade.
Ouvindo as empresas, não são poucas as que reclamam da impulsividade desses jovens. Muitas enfrentam a alta rotatividade, fruto da impaciência característica de jovens que querem resultados imediatos. Cresceram no boom da internet, é uma geração tecnologicamente avançada, não vivem desplugados e conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo. Internet, e-mails, redes de relacionamento, recursos digitais proporcionaram que esta geração fizessem milhares de “amigos” ao redor do mundo, sem ao menos terem saído de suas casas, ou seja, da frente dos computadores.

Um estudo da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP aponta que o grande desafio para as empresas é aproveitar características como a rápida adaptação a mudanças e o questionamento constante aos gestores. E a Geração Y precisa lidar com a ansiedade excessiva em ascender na carreira e ganhar altos salários.
Como são:

  • Criativos e ousados.
  • Precisam acreditar no que estão fazendo para dar o seu melhor.
  • Precisam sentir que são realmente necessários e fazem a diferença na organização.
  • Questionadores.
  • Tem facilidade para realizar várias tarefas ao mesmo tempo.
  • Comunicação instantânea.
  • Rotulados de individualistas, imediatistas e ambiciosos.
  • Arredios a regras, procedimentos e hierarquias.
  • É uma geração mais careta.
  • Tem foco na saúde: menos drogas, menos bebida, mais beleza e sexo responsável.
  • Gostam de compor sua identidade com estilo próprio, customizam sua identidade visual.
  • Cultura e os interesses comuns os aproxima e caem por terra as barreiras geográficas, diferenças etárias ou socioeconômicas: as ”tribos” se formam por afinidade e identificação cultural, não importa que cada um esteja num canto do planeta.
  • Compartilham suas vidas pessoais na internet, não se preocupam com o que é privado.
  • São mais estressados, pois sofrem maior pressão da família para ter sucesso.
  • No trabalho, o dinheiro não é o principal motivador.
  • São descrentes de regras pré-estabelecidas, dessa forma costumam ser mais empreendedores do que os jovens do passado.
  • Não ficam idealizando o futuro. Eles vêem o que pode ser feito, de fato, para mudar o mundo e se mobilizam, via internet.
  • Tem opinião.
  • Como lidar:
  • É importante não limitar seu conhecimento: dê desafios além das suas fronteiras.
  • São mais produtivos com flexibilidade de horário.
  • Elogie quando for merecido.
  • Querem ser ouvidos.
  • Apreciam gestores que proporcionam espaço para colocar as suas ideias.
  • Deixe claro como podem crescer no trabalho que executam (o profissional dessa geração, quando não vê a perspectiva de crescimento, muda de emprego).
  • A geração Y não gosta de diferenciar trabalho, colaboração, aprendizado e diversão. Crie formas de engajá-los ao trabalho de forma dinâmica e criativa.
  • Não apenas recrute, inicie um relacionamento.
  • O ambiente de trabalho pode até ser formal, mas não intimidador. O ambiente de trabalho precisa ser saudável.